Buscar

o que é um Glass Studio? + mapa para vidreiros viajantes

Atualizado: 20 de Mar de 2019

Até o surgimento do glass studio, quem quisesse soprar vidro precisava de uma estrutura industrial bem grande, pois a receita para se fazer vidro é bem complicada... não tanto pelos ingredientes, mas sim pelas proporções! É algo como... para cada 5 toneladas de sílica são necessárias 5 gramas de salitre. Como dividir as gramas para fazer uma quantidade menor? E quem vende quantidades tão pequenas? Imagine, então, misturar essa receita de bolo... só com uma betoneira. Sem contar o potássio ou óxido de chumbo, necessários para transformar o vidro em cristal. E depois, como faz para estocar toda essa matéria-prima? Dá-lhe armazém. Conclusão, só tinha um jeito: pequenos artesãos precisavam dividir espaços maiores e coletivos para criar suas peças.


Foi então que, na década de 1970, Dale Chihuly, um dos artistas de vidro mais famosos da atualidade, fundou a Pilchuck Glass School, uma das primeiras escolas de sopro de vidro, na região de Seattle, cidade que hoje é um grande centro do vidro soprado artesanal. Com isso, Chihuly começou a incentivar estruturas menores para que seus alunos pudessem soprar vidro em fundos de quintal. Adaptando uma estrutura de fábrica para as proporções de um pequeno ateliê, nasceu uma rede de fornecedores de olho no público de alunos da escola.


A Pilchuck começou assim, no meio da floresta, como um curso de verão